sábado, 22 de fevereiro de 2014

Depois da tempestade...

Às vezes despertamos e chove lá fora. 
Às vezes o dia é tão escuro que só pensamos na tempestade que se aproxima.
Às vezes sentimos a electricidade no ar, como essa sensação de sufoco e ansiedade que nos percorre todo o corpo, causando-nos desconforto e irritabilidade.
E então, chove mais e com uma força tremenda, e aparecem os relâmpagos e ecoam os trovões. O vento levanta-se e grita, rugindo por vezes e entranha-se pelas fendas das portas e das janelas.


Nesse momento temos duas opções: ter medo da tempestade, deixando-nos levar por ela, deixando que os iões positivos que circulam no ar penetrem no nosso organismo e nos arrebatem ou mostrarmo-nos firmes ante a sua passagem, ainda que respeitando a sua força (pois se há coisa que todos devemos saber é que com a natureza não se brinca).
Eventualmente, a tempestade passará, uma vez que, como dizem nuestros hermanos "nunca choveu que não escampara" e porque, ainda depois do diluvio bíblico, houve um dia em que o sol voltou a brilhar. A verdade é que há tempestades e tempestades, umas mais agressivas e outras mais suaves; umas que perduram por mais tempo e outras que passam quase correndo pela nossa vida.
Pela boca do povo ouve-se que depois da tempestade vem a bonança. Há quem acredito nisso e há quem diga que há coisas que vieram para ficar (principalmente as más pois, uma desgraça nunca vem só).


Eu? Eu acredito que há sempre algo bom depois da tempestade, afinal de contas, não é depois da chuva que aparece o arco-íris
Às vezes só tempos que aprender a esperar que tudo passe.
Às vezes temos que esperar, olhando pela janela sem medo, a chegada desse conjunto de cores que iluminam os céus.
Às vezes e só às vezes, temos que pensar que as nuvens negras pesadas podem trazer-nos novas tonalidades :)

3 comentários:

Muito obrigado por comentares o meu cantinho :D